Ir direto para menu de acessibilidade.
Página inicial > Histórico > Gênese do IFBA
Início do conteúdo da página

Gênese do IFBA

Publicado: Quinta, 23 de Fevereiro de 2017, 18h24 | Última atualização em Quinta, 23 de Fevereiro de 2017, 18h24 | Acessos: 102

Gênese do IFBA

 

A história do Centro Federal de Educação Tecnológica da Bahia começa quando, em 02 de junho de 1910, a Escolha de Aprendizes Artífices da Bahia foi instalada, provisoriamente, no Edifício do Centro Operário da Bahia, à Rua 11 de junho, local próximo ao largo do Relógio de São Pedro (Av. Sete de Setembro).

A Escola de Aprendizes Artífices da Bahia começou a funcionar oferecendo cursos nas oficinas de alfaiataria, encadernação, ferraria, sapataria e marcenaria.

Em 1926 a Escola foi transferida para um novo prédio, situado no Barbalho, local onde se encontra até hoje e, a partir de 1930, a Escola, já com nova estrutura predial, passou a contar com as oficinas de tipografia, pautação, encadernação e fototécnica, na Seção de Artes Gráficas; oficinas de marcenaria, carpintaria e vimaria, na Seção de Trabalhos de Madeira; oficinas de mecânica, fundição e serralheria, na Seção de Trabalhos de Metais; e com as oficinas de sapataria, artes decorativas e alfaiataria.

Em 1937 a Instituição passou a ser denominada Liceu Industrial de Salvador.

Em 1942 passou a ser chamada de Escola Técnica de Salvador, em função da aplicação da Lei nº 4.127/42 que estabelecia as bases de organização da rede federal de estabelecimentos de ensino industrial. Nessa época, a Instituição implantou os seus primeiros cursos técnicos: Curso de Desenho de Arquitetura e Desenho de Máquinas e o Curso de Eletrotécnica.

Em 1959, a reforma do ensino industrial, transformou as Escolas Técnicas em autarquias educacionais e, em 1965, com a Lei nº 4.759/65 a Instituição passou a ser denominada de Escola Técnica Federal da Bahia - ETFBA.

 Como conseqüência da Reforma Universitária e do impulso desenvolvimentista da época, em 1976, através da Lei 6.344/76, foi criado o Centro de Educação Tecnológica da Bahia – CENTEC.

Em 1993, por força da Lei n° 8.711/93, a ETFBA, juntamente com o CENTEC, se transformou em Centro Federal de Educação Tecnológica da Bahia – CEFET-BA, dando uma nova dimensão institucional, administrativa e acadêmica.

O sistema federal de educação tecnológica foi implantado como conseqüência e em atendimento ao desenvolvimento sócio-econômico verificado tanto em escala mundial como nacional. Este sistema tem nos Centros Federais de Educação Tecnológica - CEFETs, seu maior destaque. Os CEFETs  possibilitaram à educação tecnológica a realização e desenvolvimento dos saberes humanísticos, técnicos e científicos, no sentido da formação profissional e da consolidação da cidadania, além da pesquisa e extensão que representa seu alicerce educacional.

O Centro Federal de Educação Tecnológica da Bahia - CEFET-BA possui estrutura multicampi e oferece, numa única organização institucional, educação tecnológica profissional em todos os níveis. Possui unidades de ensino em diversas regiões estratégicas do Estado da Bahia: a sede em Salvador, uma unidade avançada na cidade de Simões Filho e as Unidades de Ensino Descentralizadas (UNEDs), a primeira a entrar em funcionamento foi a da cidade de Barreiras no Oeste da Bahia, depois Valença e  Eunápolis.

Em 2008, por força da Lei  Nº. 11.892, de 29 de dezembro de 2008, recebeu o nome de Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia da Bahia – IFBA. Uma instituição de educação superior, básica e profissional, pluricurricular, multicampi e descentralizada, especializada na oferta de educação profissional e tecnológica nas diferentes modalidades de ensino, com campus em diversas cidades do estado da Bahia: Salvador (sede), Barreiras, Valença, Eunápolis Vitória da Conquista, Santo Amaro, Simões Filho, Porto Seguro, Camaçari, Jequié, Feira de Santana, Irecê, Jacobina, Paulo Afonso, Seabra e Ilhéus.

registrado em:
Fim do conteúdo da página